Há alguns anos, a onda das técnicas capilares tomou conta da web e das madeixas por aí. O mercado, que antes era tão linear, ficou gigante diante de tanta novidade e tantas maneiras distintas de cuidar dos cabelos. Informações se cruzaram, se confundiram e as opções se multiplicaram de tal forma, que hoje em dia fica difícil escolher qual é a melhor forma para cuidar do seu cabelo. Um dos nomes mais falados no meio de todas as técnicas, sem dúvidas, é o tal do No Poo. Afinal, o que é isso? Como funciona? Como começo a fazer? Calma: vamos dar uma força definitiva para você entender a técnica e, quem sabe, começar hoje mesmo a utilizá-la. Vem com a gente!

O que é No Poo?

O No Poo é uma técnica de cuidado capilar que exclui o uso de shampoos (leia-se SULFATOS, de qualquer tipo), fazendo a limpeza dos fios somente com produtos condicionantes. Mas não é qualquer produto, nem qualquer condicionador. Nesta técnica, só é permitido o uso de condicionadores leves e livres de petrolatos e silicones de qualquer tipo.

Complicado? Nem tanto. Na verdade é simples de entender: uma vez que você deixa de usar os sulfatos “detergentes”, você também tem que deixar os condicionadores que contenham ingredientes “residuais”.

O que é o sulfato?

Os sulfatos podem ser encontrados nos shampoos e reconhecidos nas fórmulas como Lauril Sulfato de Sódio (ou Lauril Sodium Sulfate).

É o responsável pela formação de espuma do produto e pela ação “detergente” do mesmo. Ou seja: é o que “limpa” os fios. Porém, essa limpeza pode ser duplamente prejudicial: afeta a abertura das cutículas e retira dos fios, além da sujeira, nutrientes essenciais para a saúde capilar. Isso significa que ele retira o que deve e o que não deve. Daí o efeito “ressecado” que vários shampoos podem causar.

Além disso, o Lauril Sulfato de Sódio também tem efeito cumulativo na natureza: quando descartado, faz o mesmo efeito que os detergentes pesados e pode se tornar um poluente altamente agressivo ao meio ambiente.

O que são os Petrolatos e Silicones?

Se falamos do que “prejudica” na hora da limpeza com relação aos sulfatos, por outro lado, temos que falar do peso (literalmente) dos produtos que contenham Petrolatos e Silicones em suas fórmulas.

Geralmente, tanto os petrolatos quanto os silicones são encontrados em máscaras, condicionadores, leave-ins e produtos finalizadores. Um é derivado do petróleo, como o próprio nome sugere, e é comumente identificado como Petrolatum, Paraffinum Liquidum e-ou Mineral Oil nas fórmulas.

Eles simplesmente não fazem NADA pelos fios: estão presentes nos produtos para dar consistência e como um diluidor de ativos. Uma vez aplicado nos fios, esses elementos formam uma espécie de “capa” na fibra capilar que pode impedir a real ação de nutrientes, a entrada da água e de qualquer outro ativo benéfico. Praticamente plastifica o fio, sem oferecer benefício algum. Com o passar do tempo, o excesso de resíduos dos petrolatos pode deixar os cabelos com aspecto sujo, pesado, opaco e até mesmo levar à fragilidade e quebra.

Na natureza, essas substâncias poluem tanto quanto o óleo, o piche e o plástico.

Os silicones, por outro lado, podem ser divididos em duas categorias: insolúveis (que não se diluem na água) e os solúveis (que se diluem). Vamos deixar para falar das funções de ambos em outro momento, já que aqui no No Poo eles não são utilizados em nenhuma das formas.

Como começar o No Poo?

Em primeiro lugar, você tem que entender a razão de aderir à técnica. Para preservar o meio ambiente? Para manter o cabelo mais saudável e menos “maquiado”? Para aproveitar melhor os benefícios reais dos ativos de tudo o que utilizar? Para testar a “moda”? Enfim, reflita qual a razão que te trouxe ao interesse do No Poo.

Um segundo passo extremamente necessário é saber se seu cabelo pode adaptar-se bem à técnica. O meu cabelo precisa dos benefícios desta técnica? Uma vez que ela é mais natural, mais leve e sem condicionamentos fortes, ela pode oferecer algum risco ou dano como caspa, seborreia e alergias, caso não seja feita de maneira adequada e sem consulta a um profissional.

Muita gente popularizou a informação de que o No Poo é utilizado apenas por pessoas com o cabelo cacheado e crespo, como se fosse uma indicação única e específica para esse tipo de cabelo. Mas não é! Pessoas com cabelos quimicamente tratados (alisados, tingidos, descoloridos, etc) podem ser imensamente beneficiadas. Pessoas com tendências à oleosidade também podem aderir, porém, sempre atentando aos ativos e ingredientes dos produtos. Enfim: todos podem… Mas deve-se conhecer o tipo e a estrutura dos cabelos antes de mais nada.

Perguntas respondidas? Então vamos começar!

1 – Limpe e esterilize todos os seus acessórios: escovas, pentes, presilhas, prendedores, tudo que possa ter resíduos de produtos. Faça isso deixando-os de molho em água e shampoo neutro. Enxágue com água abundante e finalize com um enxágue de água com bicabornato de sódio. Deixe-os secar naturalmente;

2 – Prepare seus cabelos para a técnica: lave-os uma última vez com um shampoo com sulfato, de preferência antirresíduos, para deixá-los extremamente limpos e sem acúmulo de componentes antigos;

3 – Utilize um creme de tratamento liberado para a técnica, ou seja, livre de silicones, parafinas, óleos minerais e petrolatos. Pause o tempo indicado no produto e finalize com um leave-in igualmente liberado;

4 – Depois desse tratamento “detox”, as lavagens dos fios será feita apenas com condicionadores específicos e liberados. Não tenha medo: pode utilizar o condicionador como shampoo, da raiz às pontas, massageando os fios e enxaguando-os posteriormente. Faça seus tratamentos e condicione normalmente, sempre com produtos liberados.

Proibidos para No Poo

Para facilitar, fizemos um infográfico para você levar sempre com você. Veja os componentes que você deve evitar no No Poo:

infográfico no poo como fazer e quais os ingredientes proibidos

OBS: Methylchloroisothiazolinone é um conservante com ação anti bactericida e fungicida apesar de ter o ‘one’ não é silicone.

Comentários do Facebook