A Transição Capilar é o processo de abrir mão das químicas transformadoras e assumir o cabelo natural, seja ele como for. O movimento já tem um tempinho mas ganhou força com a valorização da beleza natural. Prova disso é que em 2017 o Google registrou um aumento de 309% no número de buscas por cabelos cacheados e cabelos crespos. Para se ter uma ideia, hoje tem mais gente procurando no Google sobre cabelos cacheados do que sobre cabelos lisos.

Isso com certeza é um indicativo de que cada vez mais as mulheres estão se aceitando como realmente são, e isso é ótimo! A Transição Capilar é um processo super positivo, porém não é fácil. Mas se você quer, você pode, e o Blog dos Cabelos está aqui pra te ajudar! O texto de hoje é pra explicar tim-tim por tim-tim o que é a Transição Capilar e ajudar você que está no meio do processo e está precisando daquele apoio moral. Vem com a gente! 🙂

O começo da Transição Capilar

A Transição Capilar começa com a sua decisão de abandonar os procedimentos químicos de transformação. Mesmo com o movimento crescente de aceitação dos fios naturais, tem gente que não se sente à vontade com os cachos e não quer deixar de usar a química. Fazer a Transição Capilar apenas porque outras pessoas também estão fazendo ou por pressão de amigos e familiares é tão ruim quanto alisar os fios contra a sua vontade. A Transição Capilar é um processo de autoconhecimento e aceitação pessoal. Essa precisa ser uma decisão pessoal para que não cause um sofrimento desnecessário.

Agora se você está cansada de alterar a estrutura natural do seu cabelo, de esconder a sua verdadeira identidade ou se sentiu inspirada por alguém a fazer a Transição Capilar, saiba que o caminho é longo, mas vale a pena. Se prepare para vários bad hair days, para altos e baixos na autoestima e principalmente para dedicar muito tempo ao seu cabelo. Da mesma forma, a decisão também deve ser sua, levando em conta todos os pontos positivos e negativos dessa fase. Mas lembre-se sempre: é uma fase! Mais cedo ou mais tarde, ela vai passar.

O processo

Depois de tomada a decisão, você tem duas opções. A primeira é raspar a cabeça, mas a gente entende que essa opção é um pouco assustadora, né? A segunda opção é ter paciência, paciência e um pouco mais de paciência. É hora de esperar o seu cabelo crescer, e isso também pode ser muito assustador. Isso porque a média de crescimento dos fios é de apenas 1,5 cm por mês! Conviver com as duas texturas do cabelo também pode ser um desafio. Mas calma: existem técnicas de texturização dos fios que com certeza vão te ajudar a passar ilesa por esse período.

Tão importante quanto a paciência, é a aceitação. Depois de muitos anos alisando o cabelo, é normal que você não saiba como será o seu cabelo natural. Ainda pode acontecer de você achar que seu cabelo terá uma curvatura e, na verdade, ele tenha outra. Aproveite esse momento para se conhecer melhor, saber como funciona o seu cabelo e quais as fragilidades e necessidades dele. Além disso, esse também é um momento de profundo autoconhecimento, em que você vai começar a se enxergar de maneira diferente. Esteja pronta para aceitar a sua nova identidade.

As dicas

Provavelmente a parte mais complicada da Transição Capilar é conviver com as duas texturas do cabelo. A parte alisada e a parte natural parecem brigar constantemente. Mas calma: dá pra passar por essa fase sem perder a cabeça. Existem várias saídas para esse problema: tranças, coques e lenços são algumas das alternativas para disfarçar a raiz. Quando os fios naturais já estiverem maiores e você quiser experimentar a nova textura, pode recorrer à algumas técnicas que vão texturizar a parte alisada do cabelo. A fitagem, o twist, bobes e coquinhos são só alguns exemplos. O segredo é testar cada uma e ver como o seu cabelo responde a cada tipo de texturização.

Mas se você quer uma opção mais prática, vale também recorrer aos aparelhos térmicos. Chapinha e babyliss devem ser usados com moderação, já que o calor excessivo danifica os fios, mas em último caso também servem para ajudar a remodelar temporariamente o cabelo.

Os primeiros fios a nascerem no começo da Transição Capilar ainda terão resquícios de química. Por isso, é normal que eles sejam meio indefinidos e muito frágeis. Também é natural que esses fios se quebrem bastante. Uma solução é fazer muitas hidratações e outros tratamentos para fortalecer os fios e devolver os nutrientes que o seu cabelo precisa para crescer saudável.

O corte

Esse deve ser o momento mais esperado de todo o processo. É o dia que você finalmente se livra de todo resquício de química e assume definitivamente os cabelos naturais. Pode chamar como quiser: Big Chop, grande corte, corte radical… O importante é que esse é O Corte que muda a vida de todo mundo que fez a Transição Capilar.

Pra algumas ele é logo no comecinho, outras não gostam de cabelo curto e deixam para fazer o Big Chop depois de alguns meses. Independente do momento, o fato é que esse corte é um divisor de águas na história do seu cabelo. Ele simboliza o dia em que você deixa para trás sua velha identidade e assume a nova, cheia de poder e orgulho.

Os cuidados

O seu cabelo pode estar sem química, mas os cuidados estão longe de acabar! Para garantir a saúde e beleza dos seus fios, algumas coisas precisam ser incorporadas na sua rotina. São tratamentos que podem e devem ser feitos durante e depois da Transição Capilar.

Cronograma Capilar

O Cronograma Capilar é o principal deles. Com ele, você cria uma agenda de cuidados capilares semanais, garantindo hidratação, nutrição e reconstrução para os seus fios. Cada uma das etapas do Cronograma Capilar atende à uma necessidade específica do cabelo. Os fios precisam de diferentes nutrientes e vitaminas para crescerem saudáveis e se manterem bonitos depois da Transição Capilar. Inclusive o Cronograma Capilar é indicado para todos os tipos de cabelo, com ou sem química, que passaram ou não pela transição.

Low Poo, No Poo e Co-Wash

Além do Cronograma Capilar, você pode querer experimentar técnicas como o Low Poo. O Low Poo elimina produtos que tenham como componentes como sulfatos, petrolatos e parabenos. Assim, os tratamentos são mais naturais, mais suaves e ressecam menos os fios. Existem outras duas técnicas, o No Poo e o Co-Wash, que também ajudam a tratar os fios de forma mais suave, causando menos danos. É importante testar cada técnica e ver a qual o seu cabelo se adapta melhor.

Alias, a partir da decisão da Transição Capilar, é importante repensar toda sua rotina de cuidados capilares. Primeiro, é bom começar a usar produtos específicos para os seu tipo de cabelo. Por exemplo, produtos para cabelos cacheados ou crespos tem na fórmula nutrientes importantes para os seus fios. Esses nutrientes não são encontrados em produtos para outros tipos de cabelo. Além disso, agora seu cabelo será diferente, com outras necessidades e mais exigente. O ideal é dedicar um tempo do seu dia ou semana para os cuidados que o seu cabelo precisa.

Depois da Transição Capilar

E um dia você vai se olhar no espelho e perceber o quanto valeu a pena! O processo é longo e, muitas vezes, difícil mas, tem coisa mais bonita do que um cabelo bem tratado, com brilho e definição? Pra isso, lembre-se que o trabalho nunca acaba. Cabelos bonitos e saudáveis exigem cuidados constantes. Mas a gente sabe, compensa!

transição capilar sem mistérios o que é como fazer

Gostou das dicas? Preparada para passar pela Transição Capilar? Acompanhe o nosso Facebook e o nosso Instagram para ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos cabelos! 😉

Comentários do Facebook